0
Meu carrinho
Carrinho Vazio
08/12/2023

Você é sensível a cafeína?

Escrito por : Dra Katia Barreira Motta – Farmacêutica

 

A cafeína é um estimulante natural do sistema nervoso central (SNC) da classe das metilxantinas e é o estimulante psicoativo mais consumido em todo o mundo. Fontes naturais de cafeína incluem café, chá e chocolate. A cafeína sintética também é adicionada aos produtos para promover excitação, estado de alerta, energia e humor elevado. Mas será que ela é boa para você?

 

Os benefícios do café e da cafeína para a saúde são um tema de bastante debate. Por um lado, a cafeína promove excitação, estado de alerta, energia e humor elevado melhorando o desempenho cognitivo e físico.  Por outro lado, a cafeína pode desencadear sintomas desconfortáveis, especialmente em pessoas com sensibilidade à cafeína.

 

A verdade é que a cafeína funciona para algumas pessoas e não para outras. É altamente individual. A grande variação na tolerância à cafeína explica por que uma pessoa pode beber café expresso antes de dormir e dormir como um bebê, e outra terá insônia por causa do café da manhã.

 

Vamos entender um pouco mais?

 

O que é cafeína?

A cafeína (1,3,7-trimetilxantina) é um membro de uma classe de substâncias naturais denominadas metilxantinas. Ela é facilmente absorvida pelo trato gastrointestinal.

 

Quando a cafeína é consumida, ela aparece no sangue em minutos, com picos de concentração plasmática de cafeína após administração oral ocorrendo em momentos (T max ) variando de 30 a 120 minutos.

 

Mais de 95% da cafeína é metabolizada no fígado pela enzima Citocromo P450 1A2 (CYP1A2), um membro do sistema oxidase de função mista do citocromo P450, que metaboliza e desintoxica xenobióticos no corpo.

 

Os mecanismos do SNC foram revisados e são amplamente estudados. A maioria dos dados indicam que atua principalmente bloqueando os receptores de adenosina, isso leva a efeitos muito importantes em muitas classes de neurotransmissores, incluindo noradrenalina, acetilcolina, dopamina, serotonina, glutamato e GABA (Daly, 1993). Tais efeitos mostram que a cafeína tem a capacidade de aumentar o estado de alerta, uma possível razão pela qual as pessoas consomem bebidas que contêm cafeína.

 

O uso crônico e em altas doses de cafeína pode causar problemas como abstinência, quando você deixa de consumir a quantidade de costume, assim como tolerância, o que significa que você precisará consumir cada vez mais para obter os mesmos efeitos, e por fim, a dependência.

 

Benefícios da cafeína

Foi demonstrado consistentemente que a cafeína melhora o desempenho no exercício quando consumida em doses de 3–6 mg/kg de massa corporal. A cafeína parece melhorar o desempenho físico em indivíduos treinados e não treinados.

 

A resposta ao consumo de café ou à cafeína também pode variar substancialmente entre os indivíduos. Doses baixas a moderadas de cafeína (50–300 mg) podem causar aumento do estado de alerta, energia e capacidade de concentração.

 

A longo prazo, a cafeína pode ser neuroprotetora, protegendo o cérebro contra a doença de Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas.

 

Na verdade, alguns dos benefícios da cafeína podem ser atribuídos a outros compostos, como os antioxidantes, encontrados no café, no chá e em outras fontes vegetais de cafeína.

 

Potenciais efeitos colaterais ao uso de cafeína

Tal como acontece com a maioria das drogas ou medicamentos, há uma longa lista de efeitos adversos associados ao seu uso, e a cafeína não é diferente. Os efeitos adversos da cafeína variam de leves a graves e até fatais e geralmente estão relacionados à dose consumida e à sensibilidade do indivíduo à droga.

Os efeitos colaterais mais comuns estão listados abaixo. A mortalidade geralmente está associada a arritmia cardíaca, hipotensão, infarto do miocárdio, distúrbios eletrolíticos e aspiração.

 

Leve

Ansiedade, inquietação, inquietação, insônia, rubor facial, aumento da micção, espasmos ou tremores musculares, irritabilidade, agitação, frequência cardíaca elevada ou irregular, distúrbios gastrointestinais

 

Forte

Desorientação, alucinações, psicose, convulsão, arritmias, isquemia, rabdomiólise

 

Contra-indicações

Embora não haja contra-indicações absolutas à cafeína, existem algumas condições médicas nas quais é necessária cautela, o que inclui:

  • Ansiedade severa
  • Doença cardiovascular ou arritmias cardíacas sintomáticas
  • Úlcera péptica ou doença do refluxo gastroesofágico
  • Insuficiência hepática
  • Insuficiência renal
  • Convulsões (como pode diminuir o limiar convulsivo)
  • Gravidez

 

Como saber se você é sensível a cafeína?

Para pessoas com sensibilidade à cafeína, consumir pequenas doses pode causar os mesmos efeitos colaterais que a maioria das pessoas experimenta em altas doses.

Em altas doses a cafeína pode causar

  • Náusea
  • Ansiedade
  • Tremor
  • Nervosismo

Pessoas que consomem muito café podem sentir

  • Insônia
  • Batimento cardíaco acelerado
  • Dores de cabeça
  • Falta de humor
  • Aumento da pressão arterial

Os sintomas de sensibilidade à cafeína são a forma que seu corpo usa para alertá-lo de que a cafeína pode não ser a melhor escolha. Fique atento e escute seu corpo. Você pode ter energia com outras fontes mais saudáveis e estáveis.

 

Referências

  1. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5445139/
  2. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK519490/
  3. https://www.researchgate.net/publication/279202511_Caffeine
  4. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3777290/
  5. https://jissn.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12970-020-00383-4
  6. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK519490/
  7. https://www.medicalnewstoday.com/articles/caffeine-sensitivity#